Case Study – Universal Robots na Impressão 3D

Case Study - Universal Robots na Impressão 3D

UR10 NA VOODOO MANUFACTURING

 

O UR10 da Universal Robots lida com a “recolha” – de placas de carga e descarga em Impressoras 3D – na Voodoo Manufacturing, uma startup onde a implementação do robot colaborativo triplicou a produção e ajudou-a a reduzir os custos em 90%.

A empresa escolheu o robot UR devido à sua rápida integração com sistemas periféricos habilitados através da plataforma UR+.

 

 

O desafio

A Voodoo Manufacturing, em Brooklyn, Nova York, gere uma fábrica de impressão 3 D em rápido crescimento, ampliada para responder a grandes produções para competir com a moldagem por injeção. A startup teve uma necessidade urgente de automatizar o carregamento e descarregamento manual de placas nas suas impressoras e estudou várias opções de robots colaborativos. O desafio era encontrar um braço robótico facilmente programável que também oferecesse uma integração simples com uma pinça de robot como ferramenta.

 

A solução

A Voodoo Manufacturing escolheu o UR10 da Universal Robots, pois oferecia uma interface perfeita com uma pinça de dois dedos da Robotiq. “Tiramos o UR10 da caixa e conseguimos colocá-lo em funcionamento, adicionando a pinça no final do braço em apenas algumas horas”, disse Jonathan Schwartz, CPO da Voodoo Manufacturing. A pinça faz parte da plataforma Universal Robots+, que está a crescer rapidamente e que inclui produtos plug & play para robots UR. Um produto UR+ é testado e comprovado no seu bom funcionamento com robots UR desde o primeiro dia, eliminando inúmeras horas de tentativa e erro ao integrar braços robóticos com periféricos. Charles Fenwick, engenheiro industrial da Voodoo, explica que o facto do software da pinça da Robotiq ter sido implementado na própria consola do robot da UR, tornou a programação equiparável à “construção de um Power Point”. “Nenhum outro robot teve a capacidade de interagir facilmente com os periféricos necessários para instalar e executar o aplicativo completo”, disse, acrescentando que “ao conseguir que a pinça trabalhasse com o UR10, tive apenas que arrastar blocos de informação para a consola do robot, ligar os diferentes blocos e basicamente funciona sozinho”.

 

 

A Voodoo tem 160 Impressoras 3D. Ao colocar o UR10 numa base móvel a circular nas instalações de cerca de 5550 m2, a empresa poderá usar o robot colaborativo para dar resposta a 100 impressoras. Ao adicionar outro UR10 à sua frota, a startup irá aumentar a utilização das impressoras de 30% a 40% para 90%. “E a partir de agora, à medida que crescemos, podemos comprar mais robots, já que temos mais e mais impressoras”, diz Schwartz, que não hesita em chamar à configuração de automação, chamada de Projeto Skywalker, “um enorme sucesso”.

 

O factor chave para triplicar a produção é o facto de o robot UR10 poder trabalhar durante a noite. “Podemos monitorizar o robot através do nosso próprio software e aceder ao estado de qualquer impressora para verificar se a mesma está a imprimir ou inativa, o que significa que podemos implementar isso na nossa fábrica e executá-lo 24 horas por dia, sem qualquer supervisão humana”, disse Schwartz, que descreve como “mágica” a primeira manhã que chegou ao trabalho e descobriu mais de 30 impressões completas realizadas pelo UR10 durante a noite.

 

 

A Voodoo estima que o custo de implementação de um robot UR foi cerca de cinco vezes mais barato que um robot industrial tradicional devido à rápida integração e às caraterísticas de segurança colaborativas do robot, o que também significou que a empresa não precisava de células de segurança, barreiras ópticas e outras medidas de segurança geralmente necessárias quando os robots industriais trabalham num ambiente de fábrica. “Em vez de construir uma fábrica com células de segurança e perigos potenciais, agora somos capazes de criar um ambiente de trabalho amigável com melhoria contínua e espontânea e interação entre humanos e robots”, explicou Schwartz.

 

A meta de três anos da Voodoo é reduzir os custos em 90%. O aumento da produção em comparação com a redução no custo de mão-de-obra fornecida pelo primeiro UR10 da empresa significa que o robot se pagará em menos de seis meses. “Além disso, existem muitas outras oportunidades na nossa fábrica para automatizar, seja removendo partes das placas de construção, limpando-as ou inspecionando-as quanto à qualidade ou, eventualmente, até mesmo embalar e expedir”, disse o CPO da Voodoo.